Segurança da informação: sua importância e como implementar

Nenhum negócio, público ou privado, pode abrir mão de proteger suas informações de invasores externos, em um contexto atual de disseminação de conteúdos na internet.

Com o advento e o crescimento contínuo da internet, a preocupação com o roubo e o vazamento de dados sigilosos de clientes, projetos, pesquisas e serviços, se tornou uma constante nos dias atuais. Esse cenário, exige investimentos em segurança da informação para proteger as informações que circulam dentro da sua empresa.

Outro ponto que complica bastante e deixa as informações mais vulneráveis é a grande quantidade de dispositivos móveis e de armazenamento existentes e a forma como são utilizados.

Notebooks, tablets, players de músicas (que também podem armazenar outras informações), smartphones e pen drives podem ser conectados em qualquer lugar, o que pode facilitar a obtenção de dados restritos por perdas, roubos e até mesmo invasões pela vulnerabilidade da rede.

Questões como garantir a progressão saudável de um negócio, minimizar riscos futuros e maximizar as possibilidades de retorno sobre investimentos exigem atenção com aquilo que se coloca na rede e como essas informações são manipuladas, por quem e de que maneira.

Para isso é preciso seguir alguns princípios básicos para implantação de uma política de segurança eficaz e aprofundada. Continue acompanhando o nosso post e saiba mais.

Princípios para segurança da informação

Entre os mais importantes aspectos a serem levados em conta estão a importância da confidencialidade, que garante acesso às informações corporativas somente às pessoas autorizadas, e a disponibilidade, que se dá com a prevenção para que não haja interrupções no funcionamento dos sistemas e que garantem o acesso às informações pela equipe responsável.

Também a legalidade é um preceito válido para garantir que as normas legais sirvam de padrão para a segurança das informações. O rastreamento das atividades físicas e lógicas e a identificação daquele que tem acesso às informações estão calcados, respectivamente, nos princípios da auditabilidade e da autenticidade. Por fim, o princípio da integridade protege os conteúdos contra manipulações e alterações indevidas.

Ações de implementação

A implementação das boas práticas de segurança da informação depende de uma série de ações interligadas. Primeiro, é preciso saber o nível de influência que as informações exercem sobre as atividades do negócio, para em seguida avaliar o nível de segurança já existente na organização, tendo em vista seus pontos fortes e fracos.

Com essas primeiras ações, será possível medir o grau de risco ao qual a organização está sujeita e quais recursos e ambientes podem ser usados por terceiros de forma indevida, por conta da má segurança praticada internamente.

A partir desse ponto, pode-se pensar na definição, planejamento e execução de ações prioritárias e emergenciais para proteção dos dados contra algum tipo perigo.

Formalizar uma política e as diretrizes básicas de segurança da informação que nortearão os trabalhos exige seguir regras gerais, traçadas por organismos internacionais engajados no tema.

Assim, é possível chegar ao desenvolvimento e implantação de processos gerenciais, técnicos e de controle que estejam assegurados pela atuação fiel da equipe.

A importância da conscientização das equipes

É preciso ressaltar que esse trabalho processual depende do engajamento dos funcionários com a consciência de que não se trata de um momento passageiro no qual as informações estão passando por processo de aperfeiçoamento, mas sim de mudança na mentalidade corporativa.

Uma cultura organizacional mais madura deve servir de base para que a política de segurança da informação seja revista e atualizada com vistas a um negócio mais duradouro e dinâmico.

Para tanto, é essencial treinamento prático a partir dos corretos recursos didáticos e a garantia de comprometimento de todos da equipe no fortalecimento do sistema implantado.

Melhores práticas de segurança da informação

Confira quais são as melhores práticas para garantir a segurança das informações de sua empresa e para prevenir o acesso a dados confidenciais, que podem destruir suas pretensões e acabar com todo o trabalho quando em mãos erradas.

Rede Segura

Contar com uma rede segura é o primeiro passo para impedir ataques ao sistema e evitar a cópia de informações. Por meio de antivírus, anti-spywares (programas com códigos maliciosos), firewalls, redes de internet protegidas contra invasões ou softwares próprios, sua empresa pode se prevenir e bloquear acessos mal intencionados. Esses programas também devem ser instalados em dispositivos móveis utilizados pelos funcionários.

Políticas de Segurança

As políticas de segurança e privacidade de sua empresa devem ser claras e objetivas, além de conter parâmetros para que somente pessoas capacitadas possam lidar com informações importantes. Dentre essas normas, acordos de confidencialidade podem ser elaborados para minimizar os riscos de vazamentos, uma vez que punições podem ser aplicadas por conta disso.

Sistemas de Identificação

Em sua política de segurança é possível estabelecer o nível de informação disponível para cada função. Quanto maior o cargo hierárquico, mais informações são liberadas. Para isso, é possível utilizar autenticações digitais – logins ou cartões – identificando quem vê cada dado, sua finalidade e até mesmo datas e horários de acesso.

Conscientizar Funcionários

Educar e conscientizar seus funcionários quanto aos perigos e consequências, para a empresa como um todo, do vazamento de informações sigilosas é válido para alertar sobre o uso indevido dos dispositivos da companhia fora de rede seguras. Esse ponto também é importante para evitar que sua equipe ‘fale demais’, principalmente em locais públicos, onde clientes e concorrentes também podem estar.

Controle de acessos

Controlar, monitorar e até mesmo proibir o acesso a sites de alto risco que possam conter vírus ou sistemas que propiciem o roubo de informações, se for o caso, deve ser realizado para o bem de sua empresa. Restringir o uso de dispositivos de armazenamento nos computadores também deve ser avaliado!

Confiabilidade

Não existe programa de computador ou teste psicológico para atestar se uma pessoa é confiável ou não. Portanto, antes de liberar o acesso a dados mais importantes e sigilosos, conheça muito bem seus funcionários. Para isso, delegue responsabilidades para ver seu desempenho e, conforme for descobrindo suas capacidades, o modo como lida com situações difíceis, os acessos podem ser liberados. Assim você conseguirá comprovar sua confiabilidade para o compartilhamento de determinadas informações.

Essas são algumas dicas preciosas para garantir segurança as informações da sua empresa. Se você tem alguma outra dica ou já passou por situações como esta, compartilhe sua experiência e o que fez para lidar com este problema conosco, através dos comentários.

Por Talita Maria