8 tipos irritantes de profissionais e como lidar com eles

Construir relacionamentos saudáveis e produtivos com os colegas de trabalho é fundamental para que um profissional consiga atuar com qualidade e também para que possa explorar todo o seu potencial. Além disso, relacionamentos são a base de um ambiente de trabalho agradável e da formação de equipes de alto rendimento.

Mas nem sempre é fácil. A convivência entre colaboradores com diferentes perfis muitas vezes não é pacífica e atritos podem aparecer. Alguns tipos de profissionais são especialmente nocivos para o clima organizacional de uma empresa e causam um impacto negativo no crescimento e na performance dos grupos. Quer saber quais são eles? Confira:

Conheça 8 tipos irritantes de profissionais e saiba como lidar com cada um deles

O puxa-saco

O puxa-saco pode ser um profissional competente, mas perde credibilidade devido a elogios exagerados e à constante tentativa de agradar seus superiores. É o tipo que aplica suas energias de forma errada, perdendo o foco nos resultados e objetivos da equipe. Além de afetar negativamente o clima, o puxa-saco pode prejudicar o espírito coletivo e a atitude colaborativa entre os colegas.

O controlador

Esse tipo de profissional costuma ser inflexível, autoritário, egoísta, destrutivo e até agressivo. Ele é alguém que tem a ilusão de controlar as pessoas e os acontecimentos. Acredita que é o mais preparado para tudo e, por isso, assume todas as demandas possíveis. Não sabe trabalhar em equipe e esse comportamento deteriora os relacionamentos, além de influenciar negativamente nos resultados do time. Nesse caso, é necessária a intervenção do gestor.

O fofoqueiro

O fofoqueiro é, sem dúvida, um dos tipos que mais prejudica a empresa e que deve ser evitado em qualquer equipe. Infelizmente, é comum haver fofoca no mundo corporativo e, quanto mais pessoas estiverem envolvidas, mais nociva ela se torna. A ausência de uma liderança eficiente colabora para que conversas pejorativas e improdutivas se espalhem. Por isso, é importante que haja uma gestão próxima e efetiva.

O sabe-tudo

Todos os profissionais possuem conhecimentos e experiências diferentes, o que colabora muito para a formação de equipes de alta performance. Essas diferenças fortalecem a complementariedade de funcionários e, consequentemente, os resultados da empresa. Mas ninguém sabe de tudo. Há sempre muito o que aprender e a humildade deve fazer parte do ambiente. Saber compartilhar de forma adequada suas ideias, opiniões e sugestões é fundamental para o crescimento profissional.

O alto-falante

Algumas pessoas precisam de mais atenção que outras e esse comportamento se repete também no local de trabalho. A necessidade de serem ouvidas faz com que elas falem alto demais. É uma fraqueza disfarçada. Essa atitude atrapalha e incomoda bastante os colegas que estão ao redor, além de ser muito deselegante.

O reclamão

Profissionais pessimistas, frustrados e desengajados causam profundos estragos no clima e no rendimento dos demais colegas. É importante analisar quais as razões de um comportamento tão negativo e cabe ao gestor atuar para minimizar os problemas.

O tagarela

A troca de ideias e opiniões é fundamental para um ambiente de trabalho produtivo, mas não existe justificativa para perder o foco, deixar as responsabilidades de lado e ficar apenas de conversa. Profissionais que falam o tempo todo não produzem e ainda provocam tensão e irritação na equipe. O ideal é que os colegas evitem o contato, limitem a atenção dada e até mesmo ignorem esse colaborador.

O brincalhão

O excesso é sempre prejudicial. Alguns profissionais extrapolam nas brincadeiras, seja na quantidade ou no conteúdo e podem provocar atritos. O ambiente de trabalho também precisa de seriedade, concentração e, principalmente, de respeito às diferenças. Uma boa dose de bom senso é sempre bem-vinda.

Saiba como lidar com esses tipos de profissionais e melhorar o clima organizacional

Os gestores têm papel fundamental no processo de avaliação, orientação e desenvolvimento de suas equipes, incluindo os profissionais irritantes citados. É necessário que o líder compreenda as causas e reprima alguns comportamentos e atitudes inconvenientes e improdutivas. Além disso, é preciso que ele esteja atento ao rendimento individual e coletivo do grupo, que valorize as competências e resultados e que lidere com foco em objetivos, promovendo engajamento, motivação e entusiasmo. Uma sugestão é investir em Team Building, uma ferramenta excelente para construção de equipes mais fortes e coesas, através da percepção da coletividade, do potencial individual e do respeito às diferenças.

Já os colegas de trabalho têm algumas alternativas para evitar mais transtornos, como manter uma distância segura, procurar o gestor e esclarecer os fatos ou ter uma conversa franca com o profissional irritante.

Os relacionamentos no trabalho devem ser saudáveis, com discussões produtivas e foco nos objetivos do negócio. Para isso, cabe à empresa criar condições favoráveis ao bom desempenho, evitando conflito e estresse provocados pelo comportamento equivocado de alguns profissionais.

E então, identificou algum desses tipos irritantes de profissionais no seu ambiente de trabalho? Tem mais alguma dica sobre como lidar com eles? Participe com seus comentários!