A importância de ter colaboradores e não funcionários

Pode parecer uma mera diferença de gosto na escrita, mas denominar os profissionais de sua empresa como colaboradores ou funcionários mostra a essência de sua política de Recursos Humanos e de sua estratégia de negócios. Isso porque o termo delimita o papel que as pessoas têm em sua empresa e, como você já deve imaginar, ele vem mudando constantemente.

Saiba por que os dois termos não devem ser encarados como sinônimos e qual é melhor ser adotado para otimizar a sua relação os times que você gerencia:

Qual a diferença entre os dois termos?

Para entendermos a diferença entre ter colaboradores e funcionários, vamos partir da sua etimologia. Segundo o dicionário Michaelis, colaborador é aquele colabora ou ajuda o outro em suas funções. Já funcionário é empregado, aquele que tem emprego permanente e retribuído. Fica clara, assim a relação de cada um desses papéis com a empresa em que se inserem.

O funcionário vende sua força de trabalho em troca de uma retribuição, de um salário. Temos uma troca formal e bastante impessoal, em que os interesses de cada uma das partes é particular e quase não se relaciona.

Já o colaborador faz parte da empresa e a constrói em parceria com os demais que a compõem. Seus resultados são bons para si mesmo e também para o negócio; interesses pessoais e da empresa parecem, assim, caminhar juntos.

Por que ter colaboradores?

Qual seria a vantagem, dada a diferença, de ter colaboradores ao invés de funcionários? Se ela ainda não está clara, vamos fazer uma comparação simples: imagine só que você terá um almoço de família e que todos os familiares se reuniram para fazer a comida. Temos uma situação colaborativa em que todos aproveitam, se divertem e contribuem para o resultado final.

Agora, se ao invés de ser para a sua família, você fosse contratado para cozinhar um banquete para um grupo de pessoas que nem conhece. Claro, teria uma boa remuneração para isso mas, com certeza, o processo de preparo não seria tão proveitoso — e provavelmente seria menos cuidadoso.

Pode parecer uma analogia distante, mas colaboradores tendem a se sentir mais empenhados em realizar o trabalho justamente por sentirem que fazem parte dos negócios. Eles querem que a empresa seja bem-sucedida e procuram fazer o melhor para contribuir para esse objetivo. Isso faz com que, também, tenham uma postura mais crítica em relação às atividades que desempenham, buscando alternativas que possam otimizar processos e melhorias em sua execução. Isso sem falar na contribuição que dão à imagem de seu negócio, por falarem bem dele e compartilharem resultados de projetos com sua rede de colegas e familiares.

Como mudar a forma com que sua empresa lida com os funcionários?

Se você quer deixar de ter funcionários para ter colaboradores, não adianta apenas mudar a maneira como os chama institucionalmente. É necessário alterar a forma como você se comunica em todas as estruturas. Em primeiro lugar, vale dispor de canais de comunicação interna que contem a evolução dos negócios e compartilhem notícias sobre o setor, além de falar apenas sobre conteúdos administrativos e de Recursos Humanos. Dessa forma, você gera conteúdo relevante e estimula o pensamento crítico em todas as áreas.

Em segundo lugar, promova o feedback. Tenha sempre canais abertos para que os colaboradores possam dar sugestões e críticas. Estimule reuniões ou fóruns de discussão de melhores práticas e treine os líderes da empresa para que tenham essa postura em relação aos times que coordenam também é fundamental.

Você entendeu a importância de ter colaboradores e não funcionários? Está preparado para levar essa mudança para a sua empresa? Compartilhe através dos comentários!